NATAL ILUMINADO DE ALEGRIA PARA TODOS!

NATAL ILUMINADO DE ALEGRIA PARA TODOS!

quinta-feira, 11 de abril de 2013

REFORMAS SÓ AOS 67 ANOS...


Reforma aos 67 anos? Governo vai propor à troika uma receita de 600 milhões

AUTOR: JOÃO MIGUEL RIBEIRO
QUINTA-FEIRA, 11 ABRIL 2013 14:51
O Governo pode passar a idade da reforma para os 67 anos. A TSF avança que as Finanças estimam uma receita de 600 milhões de euros para tapar metade do ‘buraco’ revelado pelo chumbo do Tribunal Constitucional. O restante será compensado com cortes na despesa do Estado.
No minuto em que está a ler esta notícia pode ‘ganhar’ mais dois anos de trabalho. O Governo pretende alongar a idade da reforma, atualmente nos 65 anos, para os 67, avança a TSF. A ideia é arrecadar uma receita de 600 milhões de euros, cerca de metade do ‘buraco’ existente no Orçamento de Estado em vigor, que ficou com quatro normas chumbadas pelo Tribunal Constitucional.
A medida, que vai ser proposta à troika, será para implementar ainda este ano, terá revelado uma fonte governamental que a rádio não identificou. A receita estimada pelo Ministério das Finanças, juntamente com mais cortes nas prestações sociais, é de 600 milhões de euros, que terá de ser ‘repetida’ com cortes no Estado para cobrir o impacto das previsões inconstitucionais.
De acordo com a mesma fonte do Governo, os restantes 600 milhões serão repartidos por todos os ministérios. Cada membro do executivo tem 15 dias apresentar um plano a Vítor Gaspar, sendo que a totalidade dos cortes ministeriais terá de chegar aos referidos 600 milhões de euros.

6 comentários:

  1. Há muito que eles tem vontade de esticar a idade.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Tenho as minhas dúvidas que esta medida represente um ganho de 600 milhões assim tão facilmente.
    Parece-me mais uma estimativa falhada do «MANSINHO», como lhe chama o Virgílio.

    ResponderEliminar
  3. A reforma aos 67 anos é normal.Num Pais de merda onde os "chibatos" de 80 se candidatam à Presidencia da Républica !

    ResponderEliminar
  4. Quer isto dizer que vou ter de voltar ao activo e trabalhar mais uns Meses? Dizem eles que a esperança de vida aumentou e assim é para compensar o bater-mos as botas mais tarde, assim seja, eles é que têm os livros devem saber do que falam, saberão?
    Um abraço
    Virgílio

    ResponderEliminar
  5. independentemente, da ideologia política de cada um. Temos que reconhecer, que este governo, de todos pós 25 de Abril de 1974, é de todos sem margem de duvidas o pior. Senão vejamos, se é verdade que ele herdou nas Finanças um grande buraco. Também é verdade que o tem alargado ainda mais. Já demonstrou falta de inteligência e capacidade para o diminuir. Então vejamos o seguinte, e porque razão o desemprego não pára de subir desde que ele tomou conta das rédeas do poder. Já nos cortou os subsídios, e o que foi que ele resolveu com esse dinheiro, nada. E nós ficamos mais pobres, foi a única coisa que ele fez até esta data. Homem fez uma tempestade num copo de água após a decisão do Tribunal
    Constitucional. Com esta política a economia não irá crescer tão cedo. As empresas todos os dias estão indo à falência. E das poucas que ainda vão funcionando, algumas delas acabarão por se deslocarem para outros países onde terão mais condições para poderem sobreviver. O pessoal especializado, não tem onde trabalhar no seu próprio país, onde nasceu. Quem souber que o diga, quantas empresas foram criadas em Portugal, no reinado, Coelho-Portas! A teimosia deles, sem duvida alguma, os nossos sacrifícios nada resolverão, se continuarem com esta politica, por muito mais tempo. O executivo é composto por pessoas sem experiência de governação, a começar pelo primeiro-ministro, só tem dado barraca.

    Bom fim de semana para ti amigo António, um abraço. Eduardo.

    ResponderEliminar
  6. Enquanto estas (e outras como estas) aberrações estiverem no poder, estaremos sempre entregues à bicharada. São umas atrás das outras...

    Bom fim de semana, António.
    Espero que a sua esposa já esteja em forma.

    Um abraço até à Figueira.

    Sónia

    ResponderEliminar