NATAL ILUMINADO DE ALEGRIA PARA TODOS!

NATAL ILUMINADO DE ALEGRIA PARA TODOS!

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

UM SAUDÁVEL FIM DE SEMANA...


Atendendo a algumas opiniões de leitoras do "Figueira Minha", vou tentar arranjar uma saudável receita, para este fim de semana, que sirva para a menina e para o menino, com menos ou mais idade, com efeitos eficazes a curto prazo, mental, física e psicologicamente...Começo por aconselhar o consumo regular de vegetais, se possível duma horta biológica para evitar parasitas; a cenoura por exemplo, acompanhada com uma pitada de vitamina F, com a M, faz um efeito duradouro facilitando a circulação sanguínia e não só...



Passamos à parte do exercício físico: Corpo na posição horizontal, em prancha...Para os mais jovens, aconselho 20 flexões por dia, dez de manhã e dez à noite, para os da 2ª idade como é o meu caso; 20 flexões por semana, dez à quarta feira e dez ao domingo...fazer seguido até transpirar, (limpa os poros da pele), até ver estrelas num dia de chuva, ou numa noite de nevoeiro...


20 flexões de pernas, com a região lombar direita, todos os dias ao levantar, faz desaparecer o ácido-úrico e o colesterol...
Tenham um bom apetite, e UM ÓTIMO FIM DE SEMANA.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

VIVA O TINTOL PORTUGUÊS...


Adega de Pinhel inicia vendas regulares de vinho para o Brasil

Adega Cooperativa de Pinhel anunciou que vendeu dois contentores de vinho para o Brasil, com um total de 32 mil garrafas, iniciando o processo devenda “regular” para aquele país.
Segundo Agostinho Monteiro, presidente da Adega Cooperativa de Pinhel, no distrito da Guarda, a instituição vendeu dois contentores, com 16 mil garrafas cada um, para duas lojas do Grupo Pingo Doce, uma de São Paulo e outra do Rio de Janeiro.
“O primeiro contentor saiu na segunda-feira e o segundo vai sair na sexta-feira”, indicou, sublinhando tratar-se de uma encomenda que foi concretizada “após um processo longo” de negociações.
A direção da adega prevê que após esta primeira encomenda sejam enviados para o cliente brasileiro “três a quatro contentores por ano” para cada uma das lojas.
“A nossa expetativa é que haja uma entrega regular e que, mais tarde, passemos para outra qualidade de vinhos”, disse Agostinho Monteiro, contando que o contentor já enviado foi carregado com vinho tinto D. João I e o que segue na sexta-feira levará garrafas de D. João I tinto e branco.
A encomenda, no valor aproximado de 30 mil euros, representa o início de um processo que a Adega Cooperativa de Pinhel procurará “enriquecer ao longo dos tempos”, admitiu o seu presidente.
“O trabalho que se tem feito está a dar frutos, porque começámos com um distribuidor pequeno e já estamos num patamar maior”, disse.
Lembrou que a adega já tinha um pequeno distribuidor naquele país que comprou, em agosto deste ano, um contentor com 16 mil garrafas de vinho das marcas Varanda do Castelo, D. João I e Síria.
Para além do Brasil, Pinhel exporta vinhos para Luanda, Benguela, Cabo Verde, França e Luxemburgo.
                                            (Diário "As Beiras")

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

EMIGRAÇÃO DE JOVENS ALTAMENTE QUALIFICADOS, IMIGRAÇÃO DE VELHOS REFORMADOS...


ISTO PASSA-SE NUM PAIS JÁ VELHO E DOENTE: PORTUGAL
Pensionistas estrangeiros vão poder morar em Portugal sem pagar IRS, alteração ao código do IRS aprovada quarta feira na Assembleia da República, um pouco mais à frente, no desenvolvimento da notícia, pode ler-se...desde que se verifique uma de duas condições: Sejam tributados num outro Estado com quem Portugal tenha assinado uma convenção para evitar a dupla tributação, ou os rendimentos que deram origem à pensão não tenham sido gerados em Portugal, até aqui tudo bem, mas apetece-me fazer uma pergunta ao Ex.mo Senhor Diretor do sistema de finanças em Portugal, que é a seguinte: Porquê, fui penalizado na pensão que tinha direito da Caixa Nacional de Pensões, só porque tinha outra do estrangeiro onde já era tributado? Porquê me continuaram a tributar duplamente por essa pensão que nem sequer sai dos cofres do Estado português? Prometo-lhe SR. Diretor...que vou saber os meus direitos, já que sou um contribuinte cumpridor dos meus deveres.


segunda-feira, 26 de novembro de 2012

A NOSSA PÁTRIA...

Era assim e assim deveria continuar
A nossa Pátria é tudo quanto nós amamos: A nossa casa, a nossa família, os nossos amigos, a nossa aldeia; é a única terra do Mundo onde compreendemos a língua que todos falam e onde vive a gente com costumes, usos e sentimentos semelhantes aos nossos; é a única terra onde nos sentimos verdadeiramente bem; é o lugar sagrado onde repousam os nossos mortos e onde viverão os nossos filhos.
A nossa Pátria é Portugal. O Portugal das ilhas espalhadas pelo Atlântico, dos milhões de portugueses que vivem em países estrangeiros. É o Portugal dos guerreiros valorosos que venceram os Árabes, os Castelhanos e os Franceses; dos marinheiros destemidos que descobriram cerca de dois terços do Globo e dominaram quase metade da Terra; dos grandes santos, escritores e poetas; de todos quantos no passado se sacrificaram para construir uma Nação una e indivisível, que é nossa estrita obrigação deixar intacta para nossos filhos, ainda que para tal seja necessário o sacrifício da própria vida.

domingo, 25 de novembro de 2012

PAPAGAIO CONTENTE COM A CRISE...


Um menino regressa da escola cansado e faminto e pergunta à mãe:
- Mamã, que há de comer?
- Nada, meu filho.
O menino olha para o papagaio, que têm na gaiola, e pergunta:
- Mamã, porque não fazes papagaio com arroz?
- Porque não há arroz.
- E papagaio no forno?
- Não há gás.
- E papagaio no grelhador eléctrico?
- Não há electricidade.
- E papagaio frito?
- Não há azeite!
E o papagaio contentíssimo gritava:
-'VIVA o Governo !!! VIVA o Governo!!!'

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

TEMPO DE POUPANÇA...

Para fugir um pouco aos políticos e ao futebol, trago-vos aqui uma ideia de..."Poupança de energia"!
Sabemos que no Brasil, (nosso país irmão) estamos em época de temperaturas altas, que tal desligarmos o aquecimento central, apagarmos a lareira e marcarmos uma viagem até ao Brasil...

Passar-mos  umas férias de três meses, com umas simpáticas mulatinhas que nos ajudarão a encontrar o local mais quentinho e confortável numa qualquer cidade maravilhosa...

Com variadíssima escolha de conforto; Até à vossa decisão, tenham cuidado com as gripes, eu vou fazer as contas, mas penso que me vão dar saldo positivo!
Um  BOM FIM DE SEMANA e ótimas férias.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

SÓ AGORA OS NOSSOS MAÇARICOS PREOCUPADOS...


Passos preocupado com Orçamento europeu

Primeiro-ministro disse no Parlamento, antes de partir amanhã para o Conselho Europeu, que a proposta comunitária "não é equilibrada e contém elementos inaceitáveis" para Portugal e para a Europa.

(Notícia do Expresso)




segunda-feira, 19 de novembro de 2012

MEU SONHO DE MARINHEIRO...

Meu barquinho de papel
Estávamos no ano, 1949 tinha sete anos de idade, na escola primária ensinaram-me, (além de ler e escrever)  a fazer barquinhos de papel, com os quais brincava numa pequena lagoa rural...

A barca do campo
Aos domingos pedia a barca a um tio, que servia para ajudar a fazer a sementeira do arroz, convidava dois ou três amigos de infância e vinha-mos navegar para os campos ainda sem arroz, era o bichinho da navegação a crescer...

O carregueiro ao largo da Fig. da Foz
De vez em quando vinha à cidade da Figueira da Foz, que ficava a 50 km de distância, até à praia, acompanhado da minha avó paterna e dos meus cinco primos "Queridos"...Aqui começou o meu fascínio pelo mar, via passar ao largo pequenos barcos de pesca (traineiras) ou carregueiros, depressa nasceu o sonho de ser marinheiro e aos 18 anos de idade comunico a meus pais a minha intenção de ir voluntário para a marinha de guerra, nesse momento vejo cair duas lágrimas dos olhos de minha mãe a dizerem-me: Tonito, és muito novo para te afastares de nós...Perante este cenário de coração de mãe, adiei minhas intenções até aos 20, aí pedi desculpa mas tinha que seguir meu sonho, concorri e depois de no Corpo de Marinheiros do Alfeite, ter feito as provas exigidas fiquei aprovado, no dia marcado das inspeções, quando embarquei na doca da marinha em Lisboa, a bordo duma vedeta da marinha que me levou à Base Naval do Alfeite, tinha começado o meu sonho, só que chegada a hora em que me apresentei como vim ao mundo, em frente do 1º tenente Patrício e me disse: Vais para Fuzileiro, estremeci, a palavra Fuzileiro assustou-me porque não conhecia, era uma especialidade da Armada recentemente criada, mas lá fui era tarde para voltar atrás...

Navio Escola Sagres
Uma vez chegado à Escola de Fuzileiros em Vale de Zebro e começo a ver as pistas, apercebi-me que dias difíceis de intenso esforço físico me esperava, mas tinha aprendido que "desistir" nunca, o tempo ia passando e a adaptação ia ficando e crescendo, até que num dos cursos (e já depois da recruta) denominado ITE, há ordens para ir embarcar na Sagres para aprender Marinharia, foram bons tempos que lá passei, mas acabaram depressa...

O vaso de guerra, que sonhei fazer parte da tripulação
Dar a volta ao mundo e conhecer outros povos, outras culturas, trocaram-me as voltas, mas fui-me habituando à camaradagem e às regras que militarmente tinha que cumprir, chegou a oportunidade de sair do país, para Angola, pouco agradável porque decorria aquela guerra maluca e sem sentido e lá fui, cumprida a minha missão, regressei mas tinha ficado em mim, as gentes e o cheirinho a África e voltei, desta vez para Moçambique, para cumprir mais uma comissão, regressando à Escola de Fuzileiros, em 1968...

Pista de lodo na Escola de Fuzileiros
Sem saber como as coisas acontecem, surge o meu 1º Castigo, que serviu de trampolim para saltar para França e assim terminou O MEU SONHO DE MARINHEIRO.

domingo, 18 de novembro de 2012

PEDIDO DE UM AMIGO...


Não é tarde, nem é cedo, é AGORA...Querias marca chinesa que em tempo de crise ficava mais barato, aqui tens com música, por este motivo e pela rapidez que envio a encomenda não posso fazer descontos.

sábado, 17 de novembro de 2012

MÁQUINA DE AQUECIMENTO INOVADORA...


******BOM DIA AMIGOS******

Em tempo chuvoso e frio, apresento a minha mais recente aquisição, adaptada à 3ª idade, foi difícil a importação visto que, sendo "Made in Angola"...Como as relações, José Eduardo dos Santos/governo português, não são as melhores neste momento, obrigou a uma rota diferente, fazendo escala em Toronto, seguindo para Figo Maduro, tomando o destino final= Figueira...Devo começar por pedir desculpa aos meus dois concorrentes diretos, (um de Póvoa de Varzim, outro da Fig. da Foz), porque estou convencido "com modéstia à parte", que irei ter mais sucesso como jovem empresário, visto que, não tiro a película protetora ao material, antes de ser usado e desta forma, até posso adquirir clientela do sexo feminino, as entregas serão feitas anualmente no dia 31 de Fevereiro, caso estejam interessados/as.
Passem UM BOM FIM DE SEMANA...QUENTINHOS/AS
Com o meu abraço

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

TRÓIKA E OS INVESTIDORES ALEMÃES...


Na recente visita a Portugal da SRa.Merkel, ficámos a saber do interesse de empresários alemães, em investir em Portugal...Seria ouro sobre azul e um "volte face" nas políticas até agora seguidas por Bruxelas para a Europa, na medida em que todos nós sabemos que a austeridade, só nos leva ao fundo do abismo, sendo o caminho correto, relançar a economia começando pela criação de postos de trabalho mas...Se a intenção dos empresários alemães for a atração da redução do I.R.C. anunciado pelo governo português, quem me diz que findo o prazo da isenção de impostos, não começam a chantagear o governo ameaçando com despedimentos, ou transferência das empresas? Quem me diz que não será mais uma engenhosa maneira de nos sacar mais uns euros? Tenho amigos e leitores, que os conhecem melhor do que eu, que me podem tirar estas dúvidas.
No vídeo que aqui apresento, temos uma lição inteligente da formiga de, como em grupo unido, se vêm livres do ataque do «papa formigas», quem sabe se não será uma ideia de como nos livrarmos rapidamente da Tróika.


quinta-feira, 15 de novembro de 2012

POLICLETO, ESCULTOR DA ANTIGA GRÉCIA...

Zeus na Grécia antiga

Num velho livro dei hoje com esta anedota que tem, ao que me parece, seu jeito de fábula.
«Policleto, escultor da antiga Grécia, foi célebre no seu tempo como estatuário. Trabalhava ele, de uma vez, em duas estátuas semelhantes, uma publicamente e outra em segredo; para esta consultava apenas o seu próprio génio criador; mas para a primeira acolhia e seguia todos os conselhos que lhe davam. Corrigia, acrescentava e retocava segundo as indicações dos críticos. Acabadas as duas obras , expô-las ao lado uma da outra. Todas as censuras recaíram sobre a que fora feita conforme as indicações recebidas, ao passo que a secretamente criada mereceu os aplausos gerais. Disse então o artista:
- Atenienses, a estátua que criticais é a vossa obra e a que admirais é a minha.»
Deixo ao leitor o gosto de encontrar por si a moralidade desta historieta.

Palácio da Grécia antiga
                                        (Imagens tiradas da NET)

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

O ÚLTIMO PRESIDENTE DA CÂMARA DA FIGUEIRA DA FOZ, ANTES DO 25 DE ABRIL DE 1974...


Morreu o antigo presidente da Câmara da Figueira da Foz José Jorge de Pinho


O último presidente da Câmara da Figueira da Foz antes da Revolução do 25 de Abril de 1974 morreu ontem (13), aos 82 anos, cumpridos em outubro. José Jorge de Pinho, natural de S. João da Madeira, encontrava-se num lar da terceira idade, na cidade do Porto.

O funeral realiza-se hoje, às 15H00, da Igreja Matriz de S. Julião, Figueira da Foz,  para o cemitério oriental da mesma cidade. Depois de ter abandonado a presidência da autarquia, na sequência do golpe militar, José Jorge de Pinho, engenheiro eletrotécnico, dirigiu os extintos serviços municipalizados da Câmara da Figueira da Foz e foi responsável pela agência da  EDP da cidade.
Em 2007 foi homenageado pelo então presidente da autarquia figueirense, António Duarte Silva, falecido em 2011, juntamente com outros  antigos presidente da edilidade vivos.
                                                                                                                              ( Diário as Beiras)

terça-feira, 13 de novembro de 2012

VALE E AZEVEDO VOLTA A CASA...

Vale e Azevedo volta a Casa! Volta à prisão portuguesa e a Rádio Comercial tem ao telefone, directamente do Estabelecimento Prisional de Lisboa, Cesário Ribeiro (Ricardo Araújo Pereira), companheiro de cela do antigo presidente do Benfica.

«A chegada de Vale e Azevedo aqui à cadeia foi boa. Já agora, gostava de aproveitar esta situação para denunciar a falta de condições que nós temos nesta prisão. Eu estou a dormir no chão, meu amigo! Tinha colchão, mas o Vale e Azevedo fanou-mo!»

Vale volta a Casa -  Mixórdia de Temáticas 13-11-12 (Rádio Comercial)
Vale e Azevedo de regresso a Casa!

«Já não é preciso reclamar junto do director da prisão, porque eu, desde ontem, sou o proprietário deste estabelecimento prisional. O Vale e Azevedo vendeu-me a prisão ontem. Tenho aqui a documentação toda que o Vale e Azevedo me forneceu. Nós ontem assinámos a promessa de compra e venda e depois fechámos o negócio.»



segunda-feira, 12 de novembro de 2012

A VISITA DA TIA RICA...


SENHOR PRESIDENTE "CAVACO" EXPLIQUE ISTO DIREITINHO À NOSSA TIA!



Angela Merkel chega hoje a Lisboa como a tia rica que visita os sobrinhos pobres. Estes devem recebê-la bem - sob pena de a tia não voltar a dar dinheiro aos sobrinhos.
Têm toda a razão aqueles que dizem que a Alemanha não é responsável pela crise em que nos encontramos. Berlim é responsável pelos caminhos tortuosos para sair da crise - mas não pela crise.
O investimento alemão é o mais amigo de Portugal. É um investimento não especulativo, que vem para ficar, que cria valor no país, que contribui para a formação dos trabalhadores e que dá emprego qualificado nas muitas empresas germânicas que se instalaram no nosso retângulo.
Por tudo isso, não faz qualquer sentido desenvolver um sentimento anti-germânico. O que faz sentido é insistir junto de Angela Merkel que estamos a fazer o nosso melhor em matéria de cortes de despesa e redução do desequilíbrio externo. Mas alguém lhe tem de explicar que não se pode ao mesmo tempo atingir esse objetivo e o equilíbrio orçamental, porque se a crise ajuda o primeiro, prejudica o segundo, já que as receitas fiscais caem a pique.
Por isso, alguém tem de dizer a Angela Merkel (talvez o Presidente da República...) que para não sermos uma nova Grécia precisamos de bastante mais tempo para pagar o que devemos e de melhores condições, ou seja, juros mais baixos. De outro modo, entraremos em incumprimento. E não é isso que a sra. Merkel quer, seguramente.
No século passado, havia sempre uma tia rica que ia visitar os parentes pobres. Normalmente deixava algumas moedas e amendoas aos sobrinhos. Estes, se resolviam falar-lhe nos familiares que estavam desempregados, obtinham a seguinte resposta: "Vocês sabem lá o que são preocupações! Como não têm nada, não tem com que se preocupar".
Nós não gostaríamos de olhar para a sra. Merkel como a tia rica. E esperamos que ela não olhe para nós como os sobrinhos pobres. Nós queremos ter coisas nossas - e preocuparmo-nos em mantê-las e melhorá-las.  



Ler mais: http://expresso.sapo.pt/a-visita-da-tia-rica=f766321#ixzz2C0oiiLYE

sábado, 10 de novembro de 2012

UM COELHO BURRO...

PASSEM UM BOM FIM DE SEMANA
E para descontrair, vou contar-lhes a história, dum coelho burro, que fugiu para França e desconhecia que a cidade não foi feita para coelhos, vejam o vídeo!

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

PATRIMÓNIO EM SALDOS...


O Ministério da Defesa colocou à venda o Centro de Formação da Guarda Nacional Republicana (GNR) na Figueira da Foz, antigas instalações da E P S T, (Quartel do Exército de Instrução Auto), Daniel Santos, em nome do movimento Figueira 100% defendeu que o governo "deve deixar as coisas como estão", considerando que " não faz sentido (o Ministério da defesa) avançar para esta alienação sem falar com a autarquia primeiro"...Eu tenho dúvidas se o governo vai ouvir, visto que prevalece a política do "vale tudo", para bem da Figueira da Foz e dos figueirenses, espero que haja mais um recuo em decisões disparatadas.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

A VISITAÇÃO DA SENHORA...


Opinião – A visitação da senhora


Francisco Queirós
Frau Merkel visita Portugal no próximo dia 12. A visitação será apenas dehoras, mais de médico do que imperatriz, no que ao tempo respeita. Mas não deixa de ser sentida como uma inspecção de soberana a um pobre protectorado. Sob o domínio da troika, a soberania nacional encontra-se condicionada. A Constituição da República permanentemente violada e secundarizada face a um pacto de agressão externa que, em verdade se diga, foi deprecado por forças políticas internas, as que vulgarmente são designadas como do “arco do poder”. Esse arco sem triunfo e sem glória.
Frau Merkel vem aí. De Berlim a Lisboa são umas horitas de viagem. Na visitação da soberana haverá reuniões e encontros com a nobreza autóctone. Far-se-ão balanços sobre o sucesso da aplicação do memorando, pacto de gerência em vigor.
A história de um país de muitos séculos de identidade está pejada de mandos e desmandos das grandes potências externas. A mais velha aliada, desde Windsor, foi também a mais velha soberana. Todo o nosso século XIX é exemplo disso e entre as maiores figuras da nossa história encontramos quem, como Gomes Freire de Andrade, tenha feito frente ao imperialismo inglês, pagando com a própria vida, dependurado na forca às ordens de Beresford, no Forte de São Julião da Barra a 18 de Outubro de 1917, para exemplo de um povo inteiro. Depois das ousadias coloniais de um império de segunda, rabiscadas a cor de rosa num mapa de quem, após a Conferência de Berlim, também queria comer à mesa da partilha da África, os ingleses de novo puxaram as orelhas ao Zé Povinho e em modo de Ultimato ameaçaram com o navio “Enchantress”, aportado em Vigo, mesmo à mão de pôr uma naçãozita na ordem, ordem imperial britânica, entenda-se.
No concerto e desconcerto dos interesses políticos e económicos das grandes potências capitalistas europeias e mundiais, os países periféricos foram sendo “colonizados”. No início do século XXI, a União Europeia assume um projecto estratégico de domínio na pretensão de edificação de um “super-Estado” imperialista, com relações de domínio colonial, à custa da própria soberania, das condições de vida e do direito ao desenvolvimento dos seus próprios povos e da democracia dos mais periféricos dos estados membros.
A senhora Merkel não é a rainha Vitória, mas é quase como se fosse. Representa quase o mesmo. E é assim que o povo português a vê hoje. À mulher de César não basta ser séria, precisa de parecê-lo, também. E esta parece mesmo mulher de César. A esta “kaiserina” não falta nada. É a embaixatriz da Europa dos Mercados, dos grandes senhores da banca-casino.
Frau Merkel será recebida, com as honras que o seu estatuto lhe confere, por uma meia-dúzia de fidalgotes locais. Os senhores das paróquias sempre à espreita, ansiosos e prestimosos, expectantes e submissos, atentos e cuidadosos serviçais da visitação imperial.
Outro pode e deve ser o nosso destino colectivo!                            (Diário as Beiras)

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

O HINO NACIONAL...

O hino nacional dum país é a expressão musical do sentimento patriótico.
O nosso hino é «A Portuguesa». Como representa também a nossa Pátria, deve-se-lhe o mesmo respeito que à Bandeira, isto qualquer português que se prese sabe, o que talvez não saiba é o hino completo, então vamos lá lembrar algum mais esquecido...

A PORTUGUESA

I
Heróis do mar, nobre povo.
Nação valente, imortal,
Levantai hoje de novo
O esplendor de Portugal!
Entre as brumas da memória,
Ó Pátria, sente-se a voz
Dos teus egrégios avós
Que há-de guiar-te à vitória!

CORO
Às armas, às armas! Sobre a terra, sobre o mar,
Às armas, às armas, pela Pátria lutar!
Contra os canhões marchar, marchar!

II
Desfralda a invicta bandeira
À luz viva do teu céu!
Brade a Europa à terra inteira:
Portugal não pereceu!
Beija o solo teu jucundo
O Oceano, a rugir de amor;
E o teu braço vencedor
Deu mundos novos ao mundo!

CORO
*********************

III
Saudai o sol que desponta
Sobre um ridente porvir;
Seja o eco duma afronta
O sinal do ressurgir,
Raios dessa aurora forte
São como beijos de mãe
Que nos guardam, nos sustêm,
Contra as injúrias da sorte!

CORO
************************
X

«A Portuguesa», adoptada como hino nacional em 1910, foi musicada por Alfredo Keil e escrita pelo capitão-de-mar-e-guerra Henrique Lopes de Mendonça.



terça-feira, 6 de novembro de 2012

FACEBOOK, TÃO VICIANTE COMO UM BOLO DE CHOCOLATE...



Facebook alerta que é tão viciante como um bolo de chocolate

Por Solange Sousa Mendes, publicado em 6 Nov 2012 - 16:54 | Actualizado há 28 minutos 43 segundos

Na mais recente actualização de estado do Facebook, a própria rede social compara-se a um bolo de anos de chocolate, ou seja, é muito bom, mas em demasia faz mal à saúde.
“Os bolos de aniversário são feitos para unir as pessoas. Dão-nos uma oportunidade de nos juntarmos e celebrarmos. Mas bolo a mais, provavelmente não faz bem à saúde. Então, o bolo de aniversário é muito como o Facebook”, avisa a rede, chamando a atenção para o seu poder viciante.
O ritmo de consulta do Facebook é de minuto a minuto, e com dezenas de actualizações, esclarece a empresa de Mark Zuckerberg.
Apesar de já terem sido publicadas muitas notícias a apontar para os perigos do Facebook, como o facto de ser causa de ansiedade ou de já existirem hospitais para tratarem viciados na rede, as pessoas continuam a acedê-la.
Há dados que divulgam que esta rede social está na origem de 28 milhões de divórcios e por os alunos faltarem às aulas.
Soube-se também do caso de um utilizador que tatuou 152 amigos da sua página.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

TEMPORAL DE AMOR...

Alerta de temporal, este fim de semana no nosso território...Como "quem avisa amigo é" aconselho os meus amigos a não programarem viagens longas, ou melhor...Fiquem em casa, vejam televisão, relaxem, ou divirtam-se da melhor maneira em boa companhia! Um bom fim de semana a todos/as.