NATAL ILUMINADO DE ALEGRIA PARA TODOS!

NATAL ILUMINADO DE ALEGRIA PARA TODOS!

terça-feira, 19 de abril de 2016

A ESPANHOLIZAÇÃO DA BANCA...

Medina Carreira: “BPI ganhará consistência. Agora, se me perguntar se o país sai a ganhar mais ou menos ou se sai a perder, já não sei”

Perder a banca é uma “chatice”, diz Medina Carreira, sublinhando que a preocupação é maior porque “já é a última coisa que nos resta”. O antigo governante diz que aprovação “relâmpago” do decreto para a desblindagem dos estatutos dos bancos é um “embaraço”

Quem corre riscos com a Oferta Pública de Aquisição (OPA) do CaixaBank sobre o BPI? "Para o BPI não vejo risco nenhum. Um dos atuais sócios ficará mais sócio, ficará mais forte. (...) Até creio que o BPI ganhará consistência. E também acredito que ganhará por deixar de haver divisões internas. Agora, se me perguntar se o país sai a ganhar mais ou menos ou se sai a perder, já não lhe sei dizer", diz Medina Carreira em entrevista ao "Diário de Notícias" esta terça-feira.
O antigo governante refere que a aprovação "relâmpago" do decreto para a desblindagem dos estatutos dos bancos, a pensar no caso do BPI, é um "embaraço". Ainda assim, não vê nenhuma teoria cabalística nessa situação. "Não acredito que tenha sido feito a pensar 'isto é para ser aplicado só ao BPI'. Não vejo nada que seja para beneficiar ou prejudicar quem quer que seja", defende.
A maior preocupação de Medina Carreira é, sim, o Estado estar a "gastar aquilo que não tem". "O Estado tomou compromissos para os quais não tem dinheiro e a economia não produz o suficiente. Estes são todos problemas muito chatos, sérios ou mais ou menos sérios, mas o maior problema é o Estado gastar o que não tem", afirma.
Quanto à "espanholização da banca", Medina Carreira diz temer essa possibilidade, "porque hoje Portugal tem uma dimensão muito pequena". "O Estado não tem poderes perante praticamente ninguém e já perdemos tudo. E quando não temos nada, exigem-nos tudo." Perder a banca é uma "chatice", justifica, sublinhando que a preocupação é maior porque "já é a última coisa que nos resta".


5 comentários:

  1. porque este pacato país, nunca ganha!
    também o que não tem não pode perder
    talvez, como a beleza debaixo da saia
    escondida,só a quem ela quer se deixa ver?

    Tenhas uma boa tarde, amigo António.

    ResponderEliminar
  2. Ou seja, para este senhor o que importa é que a banca ganhe, O país, ou o povo, já que é o povo que forma o país, que se lixe.
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. Nós é que vamos continuar por muito tempo "embaraçados", porque uma coisa é certa , tudo nas mãos de estrangeiros não é nada bom sinal.
    xx

    ResponderEliminar
  4. A mim tanto se me dá como se me deu!
    Só no Montepio é que sou dono do banco, mas aquilo está quase a dar o berro!

    ResponderEliminar
  5. Montepio a dar o berro, nem penses! É o banco que tenho mais próximo da minha porta, há quinze dias atrás foi quem me deu melhores juros e até 100.000€ estão sempre garantidos pelo BdP! Se tiveres a maioria das acções avisa-me antes de dar o berro!

    ResponderEliminar