NATAL ILUMINADO DE ALEGRIA PARA TODOS!

NATAL ILUMINADO DE ALEGRIA PARA TODOS!

segunda-feira, 22 de julho de 2013

IMPRENSA INTERNACIONAL DESTACA APOIO DE CAVACO AO GOVERNO...

22 de Julho, 2013
A manutenção em funções do Governo português e o apoio do Presidente da República à actual coligação são os principais destaques da imprensa internacional de hoje sobre Portugal, na sequência da declaração feita no domingo por Cavaco Silva."A coligação conservadora conseguiu manter-se no poder", diz o espanhol El País, que refere ter chegado ao fim uma "longa crise política" em Portugal.
Um final da "longa crise política" em Portugal, como considera o El Mundo, salientando que o Presidente "não convocará eleições antecipadas" e que Cavaco Silva "aceitou a remodelação do executivo", apresentada há cerca de três semanas.
O "apoio claro do Presidente ao Governo" é o título escolhido pelo francês Le Monde, lembrando que Cavaco Silva pertence ao maior partido no poder, o PSD, ideia que é repetida pelo Deutsche Welle.
Neste jornal alemão, Cavaco Silva é apresentado como um Presidente que "mantém a fé na coligação" do Governo e que "pôs fim a uma crise política que quase provocou um segundo resgate" financeiro internacional.
No Reino Unido, tanto a BBC como o The Guardian afirmam que o Presidente resolveu apoiar o Governo, mas destacam o facto de ter evitado a realização de eleições antecipadas.
Para o Financial Times, a principal preocupação do Governo deve ser agora a unificação da coligação governamental, depois de ter falhado o acordo de "salvação nacional" entre os três maiores partidos.
Para este jornal económico, a coligação é "frágil", mas conseguiu dar "garantias reforçadas" de que iria manter a união durante o programa de resgate do país.
A notícia da solução para a crise política apresentada pelo Presidente da República consta de quase todos os jornais europeus, mas está presente também em muitos outros órgãos.
É o caso da televisão Al-jazeera e do Wall Street Journal, para o qual a decisão de não convocar eleições deverá servir para "aliviar os investidores", embora se mantenha a imagem de fragilidade do Governo português, à semelhança de todos aqueles que estão a impor medidas de austeridade.
[actualizada às 9h52]
Lusa/SOL Crise política: Seguro nega ter prometido a históricos nada acordar

4 comentários:

  1. Finalmente estamos salvos, com este novo fôlego do governo, vai ser sempre a abrir, nada nem ninguém nos vai conseguir travar na senda do progresso, isto até aqui foi apenas o aquecimento, qual atletas de maratonas.
    Um abraço
    Virgílio

    ResponderEliminar

  2. Depois da tourada
    Prepara-se a arena
    Para a próxima temporada.

    Depois da salvação
    Nacional falhada
    Deu mais um empurrão
    Para continuar a palhaçada.

    Atirou com a batata quente
    Nas Selvagens se refugiou
    Palavras de um presidente
    Com a palavra atrás voltou.

    O que antes era lata
    Em ouro se transformou
    Não é ouro, não é prata
    O que um falhado sonhou.

    Oxalá que dê certo
    Mas nessa não vou
    Ideias de um esperto
    Na mentira acreditou!

    Deu o dito por não dito
    Criou mais confusão
    Tudo o que tinha prometido
    Em troca da salvação!

    Coisa assim nunca tinha visto
    Tudo é possível na vida
    Empurrar o país para o abismo
    A brincar com a democracia!

    Boa tarde para ti amigo António.

    ResponderEliminar
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  4. Que é que eles haviam de dizer?
    Desde que não haja ondas é uma alegria!

    ResponderEliminar