segunda-feira, 20 de agosto de 2018

DIA MUNDIAL DO MOSQUITO...

No Dia Mundial do Mosquito, conheça os seus perigos

Sabe que uma picada de mosquito pode ser um meio de transmissão de doenças? E que há quem seja alérgico a tais picadas?

Dia 20 de agosto, o dia em que se ‘celebra’ algo que não agrada a ninguém, mas a escolha por esta data para assinalar mundialmente o Mosquito deve-se ao médico britânico Sir Ronald Ross que no final dos anos 80 descobriu nestes insetos a capacidade de transmissão de malária.
Conforme a espécie de mosquito, estes podem também transmitir febre amarela, o vírus zika ou outras doenças, algumas das quais ainda sem tratamento, razão pela qual a prevenção é essencial.
O repelente é a melhor forma de o fazer, que não deve descurar em qualquer situação em que está em ambiente mais propício como jardins, matos ou florestas, principalmente próximo do mar ou rio, altas temperaturas e luz artificial, por exemplo, como quando está em acampamento. Os mosquitos preferem peles escuras, sangue mais quente e ambientes noturnos, mas tudo isto é relativo, não havendo que esteja completamente livre das incómodas picadas. Existem repelentes em sray e em stick, sendo este segundo menos ‘pegajoso’ e por isso mais indicado por uma questão de conforto.
Depois da picada, e embora não tratem os casos de transmissão de doenças, há produtos que aliviam a irritação na pele no momento imediato e posterior – só tem que garantir que resiste à tentação de coçar a picada. Aos mais sensíveis, a quem a irritação permanece por mais tempo, a toma de um antiestamínico pode também ser opção para se livrar dos efeitos deste problema que parece nunca falhar de verão a verão.
Mas então, como se processam as picadas?
As picadas são apenas feitas por parte das fêmeas, que sugam o sangue de humanos ou animais para nutrir os seus ovos. Ao picar, injetam saliva para evitar a coagulação sanguínea, que origina a sensação se irritação, pele inchada e vermelha.
No caso de picar alguém infetado, o mosquito ‘recolhe’ o parasita responsável pela doença, além do sangue em si, que transporta para a sua próxima vítima.

 

6 comentários:

  1. Só me lembro das melgas que me picaram quanto quiseram e lhes apeteceu, no Niassa, e me pregaram com uma carga de Paludismo que custou a curar. Durante anos a fio, já depois de casado, fiz tratamentos para controlar a doença.

    ResponderEliminar
  2. Sou alérgica a mosquitos, são uma praga.

    Hoje; Num silêncio da escuridão iluminada {POETIZANDO}

    Bjos
    Votos de uma óptima Segunda - Feira

    ResponderEliminar
  3. Nesta altura andam mais "assanhados" Loool

    Beijo e uma excelente semana.

    ResponderEliminar
  4. Muito interessante. Nem sabia que havia um dia mundial dos mosquitos.
    Abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  5. Aqui são uma praga e propagam a febre Dengue.
    FDP!!
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  6. I like your blog, which help promote your blog and
    we hope that your blog is being updated.
    Royal1688

    ResponderEliminar