NATAL ILUMINADO DE ALEGRIA PARA TODOS!

NATAL ILUMINADO DE ALEGRIA PARA TODOS!

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

PRESOS VÃO TRABALHAR EM LEIRIA...

Presos vão limpar grafites na cidade de Leiria

Cadeia Leiria
Reclusos do Estabelecimento Prisional de Leiria (EPL) vão limpar grafites naquela cidade, anunciou hoje o presidente da autarquia, Raul Castro, durante a reunião camarária.
“Existe um protocolo firmado com a Prisão-Escola [como é conhecido o EPL]”, sendo que se “está à espera que as condições meteorológicas melhorem”, explicou o autarca.
Raul Castro adiantou que aos reclusos caberá a limpeza das inscrições, desenhos e pinturas espalhadas pelo núcleo urbano de Leiria e à autarquia a aquisição e distribuição de tintas, estando prevista a participação da PSP ao nível da segurança.
A informação foi prestada após a oposição social-democrata ter criticado a “degradação do ambiente urbanístico” com os grafites, através do vereador Álvaro Madureira.

4 comentários:

  1. Palhaçadas às janelas
    Mais uma palhaçada em Leiria
    Criminosos fora das celas
    A trabalharem, quem diria.

    Vão dançar a romaria
    Em Leiria, paredes a limpar
    Tudo vale em democracia
    De quem para roubar
    Dela se aproveita!

    ResponderEliminar
  2. Para não dizerem que eu só digo mal, vou dizer que está bem pensado, mas pensando melhor, e visto termos P.S.P. para vigiar os reclusos, não seria melhor andarem antes a prender os grafiteiros? Assim cortava-se o mal pela raiz! Estou a ver os presos de dia a limpar e á noite os grafiteiros a pintar, é lindo, assim já não há presos na prisão, podem aproveitar e deixá-los ir dormir a casa poupam o jantar!
    Um abraço
    Virgílio

    ResponderEliminar
  3. Pois. Quantos presos serão precisos? E quantos guardas serão precisos para evitarem que uma vez cá fora dêm à de vila Diogo?
    Um abraço e uma boa semana

    ResponderEliminar
  4. A questão prioritária é de facto identificar os grafiteiros e mantê-los sob controlo. Não fazendo isso, pouco resultará do trabalho dos presos, a não ser claro está a promoção política do autor da ideia.

    ResponderEliminar