NATAL ILUMINADO DE ALEGRIA PARA TODOS!

NATAL ILUMINADO DE ALEGRIA PARA TODOS!

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

BOM FIM DE SEMANA...

Com uma bela fantasia de Carnaval!

Se o São Pedro abrir as torneiras, fiquem em casa com uma brilhante lingerie, enviando mensagens aos amigos.


quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

PARA MENINOS PREGUIÇOSOS...


FERNÃO DE MAGALHÃES

Remetemos a época fulgurante das descobertas portuguesas recordando o nome de Fernão de Magalhães, marinheiro que fez a primeira viagem de circum-navegação ao globo, provando que a Terra era redonda, coisa então afirmada por alguns sábios, mas de que nenhum tinha a certeza. Foi pena que trabalhasse por conta dos reis de Espanha.
Tratava-se de descobrir, no continente americano, uma passagem que encurtasse caminho para as Índias. Portugal recusou os seus serviços...
Fosse como fosse, Fernão de Magalhães conseguiu, com a ajuda dos Reis Católicos, Fernando e Isabel, realizar a mais fabulosa e atribulada viagem assinalada nos anais da navegação.
Foram cinco as caravelas que partiram de Sevilha e só uma regressou, três anos depois, com meia dúzia de tripulantes estafados, doentes e famintos, comandados pelo espanhol Elcano.
Fernão de Magalhães descobrira o Estreito (logo batizado com o seu apelido) no extremo sul da América do Sul, mas fora morto nas Ilhas Filipinas, pelos soldados do régulo de Cebu, num pequeno combate.
Por conta dos reis de Espanha ou de quem quer que fosse, a glória imortal do último capítulo do romance da descoberta do mundo pertence ao nome dum português.


terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

BRINCADEIRA DE 2014 JÁ COMEÇOU...


Não, não me refiro à política, mas sim ao Carnaval de 2014, este é o cartaz que podemos encontrar ao longo da Marginal na Figueira da Foz, em que o Rei escolhido pela organização será o Emanuel e uma das suas bailarinas, Susana Guerra, será a Rainha! Haja alegria para animar o nosso povo, como está na moda, lá para os lados de Lisboa falar-se em teimosia, também aqui em Buarcos a organização do corso Carnavalesco, lá vai batendo o pé a tristezas e segue como habitualmente a animar os figueirenses e seus visitantes!


Também aqui na Cova-Gala, não querendo deixar os seus créditos por mãos alheias, vamos ter desfile de Carnaval e muita animação, tendo como Rei: Nelson Gafanhão e a Rainha: Mariana Imaginário, se o São Pedro deixar, iremos aquecer Portugal e os portugueses, com brincadeiras em que muitos e muitas se disfarçam de personagens que gostariam de ter sido, ou simplesmente gostam de se divertirem para afastarem algum sofrimento que têm vivido nos últimos tempos.
Eu particularmente já não tenho pedalada para participar, mas como apreciador não tenho falhado!




No ano passado de 2013, foi assim na Figueira da Foz


E num dia de sol brilhante, brilharam também as estrelas


A Rosa Amélia como sempre marcou presença, divirtam-se meus amigos/as, que é o melhor que levamos desta vida, lembrem-se que só envelhecemos quando paramos de nos divertir.

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

MÁRIO COLUNA INTERNADO NO MAPUTO!


Mário Coluna, antigo capitão da equipa de futebol do Benfica, está internado desde domingo em estado crítico, no Instituto do Coração em Maputo, revelou sua família que há bastante tempo sofre de problemas de saúde, foi o nosso "Rei Eusébio", que nos deixou há pouco tempo, agora o "Monstro Sagrado", como era conhecido, que luta pela vida e é assim que uma geração de lutadores se vai despedindo de nós.

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

BOM FIM DE SEMANA...


Vou ver o Benfica


Cuidado ao fechar o porta-bagagens, podem acontecer coisas desagradáveis!

E TENHAM UM ÓTIMO FIM DE SEMANA.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

FUZILEIROS PORTUGUESES E A SUA MISSÃO...



MISSÃO

Ao Corpo de Fuzileiros incumbe promover o aprontamento, o apoio logístico e administrativo das forças, unidades e meios operacionais atribuídos, e assegurar as ações de formação de pessoal, integrando duas grandes Unidades, a Escola de Fuzileiros e a Base de Fuzileiros, e sete Unidades Operacionais: o Batalhão de Fuzileiros N.º1, o Batalhão de Fuzileiros N.º2, a Unidade de Meios de Desembarque, a Unidade de Polícia Naval, o Destacamento de Ações Especiais, a Companhia de Apoio de Fogos, e a Companhia de Apoio de Transportes Tácticos.
As linhas orientadoras do Conceito Estratégico de Defesa Nacional preconizam a existência no Sistema de Forças Nacional de capacidade de projeção de poder.
Incumbe ao Comando do Corpo de Fuzileiros garantir o treino e o aprontamento da componente de projeção de poder em terra desta Força. O Corpo de Fuzileiros, fazendo parte da componente operacional da Marinha, tem também um importante papel na execução de ações em apoio no âmbito da política externa do Estado, nomeadamente de representação nacional e de demonstração de Força.
Como Corpo de Forças Especiais, são-lhe incumbidas missões específicas, que obrigam a uma prontidão operacional permanente, razão pela qual os Fuzileiros têm um treino técnico-militar bastante especializado e exigente, nomeadamente:
  • Participar em operações anfíbias, conjuntas e/ou combinadas, integrando Forças nacionais, multinacionais ou NATO, na defesa do Território Nacional ou dos interesses Portugueses no estrangeiro;
  • Efetuar operações de assistência humanitária, proteção e/ou evacuação de cidadãos nacionais residentes no estrangeiro, bem como de manutenção, imposição e consolidação da paz, de forma autónoma ou integrando outras forças;
  • Executar ou colaborar, com outros agentes do Estado, em operações de combate ao tráfico de droga, pirataria marítima, contra terrorismo e crime organizado;
  • Colaborar em tarefas decorrentes do apoio a autoridades civis, nomeadamente em situações de catástrofe, calamidade ou acidentes graves;
  • Colaborar em tarefas decorrentes de protocolos de cooperação bi ou multilateral, nomeadamente com os países lusófonos, no âmbito da cooperação técnico-militar;
  • Colaborar com Forças dos outros ramos das Forças Armadas e Forças de Segurança.

HISTORIAL

A existência de Fuzileiros na Armada remonta a 1585 quando se estabeleceram núcleos de adestramento das guarnições das naus da Índia para o manejo da artilharia e da fuzilaria.
O Corpo de Fuzileiros tem a sua origem na mais antiga Força Militar constituída com carácter permanente em Portugal, sendo a sua fundação datada de 1621, com a designação de "Terço da Armada da Coroa de Portugal", da qual os Fuzileiros atuais são legítimos herdeiros.
Desde aquela data até meados do séc. XVIII, os "Soldados da Armada" ou os "Marinheiros do Fuzil", como eram naqueles tempos conhecidos os Infantes de Marinha, combateram no Brasil, na fronteira sudeste do território Nacional, constituíram guarnições para a Esquadra de Guarda de Costa e combateram ao lado de Lorde Nelson no Mediterrâneo, somando sucessos na luta contra Franceses, Holandeses e Espanhóis.
“O Terço” era considerada uma Unidade de elite, tendo sido designado pelo Rei D. João IV como a sua guarda pessoal. Em finais do séc. XVIII, a organização operacional é alterada, articulando-se em dois Regimentos de Infantaria e uma Unidade de Artilharia, passando a designar-se por "Brigada Real da Marinha".
Em 1808, aquando da invasão das tropas de Napoleão, elementos da Brigada Real da Marinha, garantiram a segurança pessoal da família real Portuguesa na sua deslocação para o Brasil.
O Corpo de Fuzileiros Navais do Brasil, constituído após a independência daquela antiga colónia, afirma com orgulho que tem a sua origem na Brigada Real da Marinha Portuguesa.
Já no período de transição do séc. XIX para o séc. XX, quando a Europa inicia o seu processo de afirmação colonial em África, Portugal vê-se confrontado com a grande capacidade de potências coloniais, como a França, a Inglaterra e a Alemanha, pelo que considerou necessário afirmar a presença nacional nos territórios que lhe tinham sido atribuídos naquele continente na sequência dos tratados de Berlim.
Os "Marinheiros do Fuzil", integrados nos Batalhões Expedicionários e nas Companhias de Marinha, combateram em Angola, Moçambique e Guiné. Mais recentemente em 1961, quando Portugal se vê envolvido em novo esforço de guerra em Angola, Guiné e Moçambique, os Fuzileiros vestiram o camuflado para combaterem na selva, nos rios, nos montes, na savana, patrulhando os rios, desembarcando em botes e em lanchas, efetuando golpes de mão a partir de Unidades Navais e de helicópteros, garantindo a segurança de instalações de Marinha, participando em combates de todos os tipos.
Estiveram envolvidos nos teatros de operações durante catorze anos cerca de 12.500 homens. Terminados 14 anos de guerra houve necessidade de proceder a uma reestruturação das Unidades de Fuzileiros, adaptando-se ao novo teatro de Operações Nacional e aos requisitos da Aliança de que Portugal é membro fundador. Os efetivos foram reduzidos em 50 por cento, quedando-se nos cerca de 2500 homens, 60 por cento dos quais dos quadros permanentes.
Em 1974 foi criado na dependência do Chefe do Estado-Maior da Armada, o Comando do Corpo de Fuzileiros como estrutura superior de comando dos Fuzileiros com a missão de assegurar a preparação, o treino e a prontidão das Unidades de Fuzileiros. Com a entrada em vigor da Lei Orgânica da Marinha, o Corpo de Fuzileiros passou a integrar a estrutura operacional da Marinha ficando na dependência do Comando Naval.
Como testemunho da sua Ação, o Estandarte Nacional do Comando do Corpo de Fuzileiros ostenta numerosas condecorações resultantes de ações individuais e as mais altas distinções:
  • Ordem Militar da Torre e Espada do Valor, Lealdade e Mérito.
  • Três Cruzes de Guerra, colectivas.
  • Medalha de Ouro de Serviços Distintos.
  • Ordem do Infante D. Henrique.
  • Ordem de Liberdade.
  • Medalha da Ordem de Tamandaré.

Hoje, os Fuzileiros Portugueses prestam estreita cooperação de natureza Técnico-Militar aos Fuzileiros dos Países Africanos de Língua oficial Portuguesa (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau e Moçambique) e desde 1997 têm participado isoladamente e de forma conjunta ou combinada em operações de apoio à paz e de assistência humanitária, na Bósnia-Herzegovina, em Timor-Leste, na ex-República do Zaire, na Guiné-Bissau, em Moçambique, na República Democrática do Congo e no Afeganistão.
​​​​​

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

2013 EM BENIDORM...





Eu estive ali a dançar, mas não me vão reconhecer, o cameraman  passou muito rápido, espetacular mês de agosto!

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

VIVO RODEADO DE ÁGUA...


Lado sul, a 300m tenho o Oceano Atlântico


Lado norte, a 100m tenho o rio Mondego


Portinho da Gala


Como não sou gato, mas sim "pato", (mas não bravo), gosto de nadar, não poderia ter escolhido melhor local para passar o tempo de reformado, até o mar pensar juntar-se ao rio, aproveito para fazer aqui o apelo ao Ministro da Administração interna! Que mande para aqui alguns dos milhões que aí vêm do BCE e tentar subir as dunas antes que seja tarde.

domingo, 16 de fevereiro de 2014

O REGRESSO DO ASTRO REI...


OBRIGADO SÃO PEDRO!
Por nos trazeres de volta, aquele que nos aquece a alma, o espírito, a mente, enfim, tudo...
É com ele que surgem os 1ºos rebentos, os botões em flor de onde nascem os frutos mais belos e saborosos do mundo, OBRIGADO SÃO PEDRO, OBRIGADO, OBRIGADO, OBRIGADO.


Hoje domingo, o SOL brilha na Figueira da Foz, desliguem os aquecimentos e deliciem-se com o calor do SOL.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

BOM FIM DE SEMANA...

Vou ver se a minha namorada está em casa!


Não pára de chover mas ainda bem, assim a rosa não murcha!


ERA UMA VEZ UM QUIOSQUE...

(Clicar na foto para ampliar)!

Esta foto foi tirada num dia de Carnaval na Cova-Gala, estão a ver o Quiosque (Arco Íris), no Largo das Alminhas? Pois é...
Já era, porque foi desmantelado, ouvi dizer que por ordem da Câmara Municipal da Figueira da Foz, como estamos num país rico e queremos fazer dele um rico país, viva quem faz e desfaz! Mais não digo porque não quero ser politiqueiro.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

A PRAXE DA TVI...

> Assunto: : Viva a Praxe, abaixo a TVI
>

> Vale a pena ler até ao fim
>
>
> Ontem às 10:41
>
>
> "MAIS UM EPÍSÓDIO DA “PRAXE”, OU NÃO…
>
> O episódio que a seguir vou relatar ocorreu recentemente, perante os
> meus olhos incrédulos, sem que eu pudesse fazer alguma coisa para o
> contrariar:
>
> Era Inverno. Lá fora, próximo da meia-noite, o frio era óbvio, sendo
> que as temperaturas deviam rondar os 9ºC. Já tinha, inclusive, chovido
> bastante.
>
> Dentro de casa, três indivíduos (1 rapaz e 2 raparigas), expectantes e
> nervosos, estavam perante o dilema de saber que aquela poderia ser a
> sua última noite naquele local.
>
> De súbito, imperiosa, ouve-se uma voz que, sem apelo, nem agravo, lhes
> coloca o seguinte desafio: Mergulhar numa piscina e retirar todas as
> bolas que se encontravam no seu fundo, tudo num curto espaço de tempo.
> Aquele que encontrasse a bola premiada seria contemplado com a
> possibilidade de continuar e, quiçá, ser o grande vencedor, os outros
> dois seriam castigados com a sua expulsão.
>
> Sem hesitar, os três indivíduos levantam-se, despem todas as suas
> roupas, ficando apenas de soutien e cuecas e saem para o exterior,
> alinhando junto à borda duma piscina.
>
> A tremer, de frio e de nervosismo, uma das candidatas resolve desistir.
> Não tem coragem, não se quer atirar para dentro da água gelada. Recua
> e, em lágrimas, veste um roupão.
>
> Rapidamente e autoritariamente, a tal voz volta a surgir e, sem
> mostrar a cara, insiste para que a candidata continue na prova.
>
> A candidata chora, mas face às insistências e com o nervoso do
> desconhecido, volta a despir-se e a alinhar junto à piscina.
>
> À contagem daquela voz, os três candidatos lançam-se em mergulho na
> piscina para cumprirem a prova. Passado cerca de um longo e gélido
> minuto, os candidatos saem da água enregelados, sendo que um deles
> (uma das raparigas) não tinha ainda completado a prova. Face a essa
> evidência a voz volta a ordenar que se atire novamente para aquela
> água e que complete a sua prova.
>
> A tremer de frio e de olhar vago e perdido, a candidata volta a
> mergulhar e a muito custo consegue terminar a prova, sendo retirada da
> água com a ajuda dos seus colegas.
>
> A prova termina. Uma candidata vence. Os outros dois são expulsos
> naquela mesma noite.
>
> Não, isto não se passou numa sessão de Praxe.
> Isto ocorreu na terça-feira à noite, em direto, num programa do canal
> aberto TVI, perante cerca de um milhão de telespetadores. Os
> candidatos eram concorrentes de um programa chamado “Casa dos Segredos
> – Desafio Final 2”.
>
> Contaram-me que recentemente, nesse mesmo programa, os concorrentes
> foram sujeitos a, de olhos vendados, colocarem a mão num recipiente
> cheio de baratas, bem como, a comerem um prato cheio de
> grilos/gafanhotos fritos. Tudo sob pena de serem expulsos de um
> programa de televisão e em troca de mais uns minutos de fama.
>
> Infelizmente, sobre isto a TVI não perdeu um único minuto do seu
> jornal da noite a comentar as atrocidades destas práticas televisivas,
> nem submeteu a debate juízes, professores e dirigentes associativos.
>
> Como é que se pode compreender que um canal de televisão tenha a
> audácia de, em menos de 30 minutos, discorrer tudo sobre os “males” e
> “violências” da Praxe e, ao mesmo tempo, seja ela própria capaz de,
> nos seus programas, sujeitar os seus concorrentes a práticas que nem o
> mais vil dos praxistas seria capaz de se lembrar.
>
> Esta é a televisão que temos e é bom que, neste e noutros temas,
> sejamos capazes de saber separar o trigo do joio, a informação da
> charlatice e a seriedade da ignorância."
>
>
>

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

EXTRAORDINÁRIA SOLUÇÃO PARA A CRISE...

ACABAR COM A CRISE - A SOLUÇÃO

Pronto, está descoberta a solução!...

 

Por Carlos Tomás (jornalista)

Portugal tem das maiores reservas de ouro do mundo. Mais de 16 mil milhões de euros. E para que servem esta reserva? Para nada. Vamos fazer contas de merceeiro? Portugal tem dez milhões de habitantes. Isto significa que poderia vender 10 mil milhões de euros de ouro e dar um milhão a cada português. Ouviram bem, dar! Mas não iriam para a conta de ninguém. O Estado depositava esse dinheiro em contas de bancos estrangeiros, de preferência alemães. A conta não podia ser mexida por ninguém. Ou seja, o milhão de euros era intocável. Cada português tinha de dar plenos poderes a uma equipa especial do Estado para movimentar essas contas. Essa equipa depositaria depois numa segunda conta os juros desse milhão de euros. A 3% ao ano, cada milhão renderia 30 mil euros ao ano e daria 2500 euros por mês de salário a cada português. Pagos pelos bancos estrangeiros e sem que ninguém mexesse uma palha. Destes 2500 o estado reteria 350 euros de impostos, o que multiplicado por 10 milhões de habitantes representaria 4,2 mil milhões de euros de impostos por ano, o suficiente para pagar hospitais, scuts, auto-estradas, educação e funcionalismo público. Além de que toda a gente teria dinheiro para pagar tais serviços a preços justos. Por outro lado, como nenhum português iria deixar de trabalhar, a maioria acrescentaria o salário ao dinheiro dos juros dados pelo Estado. Acabaria, naturalmente o subsídio de desemprego. E era tudo pago com o dinheiro dos outros... Difícil? Haja coragem e cabeças pensantes no Governo e convidem-me para consultor que eu explico como se faz. Sem se gastar um cêntimo e transformando o País num dos mais poderosos Estados do mundo. Será que os membros do governo não descortinam isto? !!! Também com os cursos ah-doc como é que eles sabem ?



terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

BRINCALHÃO, OU DOIDO ALEGRE?


Ser doido-alegre, que maior ventura!
Morrer vivendo p´ra além da verdade.
É tão feliz quem goza tal loucura
Que nem na morte crê, que felicidade!

Encara, rindo, a vida que o tortura,
Sem ver na esmola, a falsa caridade,
Que bem no fundo é só vaidade pura,
Se acaso houver pureza na vaidade,

Já que não tenho, tal como preciso,
A felicidade que esse doido tem
De ver no purgatório um paraíso...

Direi, ao contemplar o seu sorriso,
Ai quem me dera ser doido também
P´ra suportar melhor quem tem juízo.

Tema: Loucura        Autor: António Aleixo


segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

RECORDAR É VIVER...


Passei pelo "Farol de Metangula" e lembrei-me dumas coisas que tenho no meu baú e quero partilhá-las convosco, começando com os amores africanos, recordo os meus 20 anos com saudade!


A lancha dos fuzileiros em Metangula Moçambique


O crocodilo do Tenente Saltão e o barbudo ali à direita é o Sargento Moisés


A mandioca, alimento indispensável dos africanos para acompanhar com o peixe seco ao sol


De vez em quando, cantava-se o fado nas horas vagas


Companhia de fuzileiros nº 8, (Os Leopardos)!


A minha passagem pela companhia nº 1 de fuzileiros em Luanda Angola


Colégio S. Miguel no Cobué


Material apreendido à FRELIMO!


Deixem passar, uma simples brincadeira com um amigo


Metangula, vista aérea


Outro bicharoco do Cobué


Alguns de vós já mergulharam no Niassa a partir deste trampolim, tudo são recordações da minha juventude passando posteriormente por França, Suiça, e Espanha, culturas e climas diferentes aos quais me adaptei perfeitamente.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

AFASTEM-SE DA PRAIA...


Não corram riscos, fiquem este fim de semana ao quentinho da lareira!


E TENHAM UM BOM FIM DE SEMANA!

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

MINHA LIBERDADE QUE VOA...

A VINGANÇA NO DIA SEGUINTE...


Foi ontem que falei no homem e não perdeu tempo para se vingar!
Hoje de manhã, preparando lenha para a minha lareira, com uma machada igual a esta, bati num cavaco, saltou-me para a parte frontal da cabeça com tal força que me afetou o encéfalo dando origem à paragem por alguns segundos do meu cérebro, cerebelo e bulbo raquidiano, quando voltei estava sentado no chão com o meu fufi a olhar para mim, falei com ele e resmunguei: como é que de Belém à Figueira chegou tão rápido e logo me marcou ao meio da testa?
Às vezes há coincidências que nos deixam a pensar!...

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

DEIXEM-ME RIR, PARA NÃO CHORAR...


Este Sr. que estão a ver na imagem, vem hoje dizer que os n.ºs do desemprego são "extremamente positivos"!...Só se for para a sua família e amigos, eu considero o flagelo do século!
Obrigaram os portugueses qualificados a deixar o seu país, muitos deles separando-se das esposas e filhos, os que por motivos de idade não conseguiram emigrar estão a passar dificuldades, por favor não nos atirem mais areia para os olhos, porque só cegam os que não querem ver! Não queria falar de política mas há coisas que me fazem vomitar de raiva e descrença nesta gente.


segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

ANIVERSÁRIO DO "FIGUEIRA MINHA"!

4º aniversário!
Foi em fevereiro de 2010 que nasceu o "Figueira Minha", nasceu com a finalidade principal de me divertir com os amigos conhecidos e virtuais, falo e escrevo, tudo o que de momento me vem à cabeça, faça bem ou mal sei que sou sempre criticado por alguém, mas sempre com o cuidado e preocupação de não ofender ninguém! Os meus mestres sempre me disseram: (Respeita para seres respeitado), e tenho seguido esta lógica, pois não conheço a chave para o sucesso, mas sei que a chave para o fracasso é tentar agradar a todos, posto isto, devo dizer-vos que é minha intenção prosseguir à sombra da minha figueira, na rota habitual enquanto tiver dedos para o teclado e visão para apreciar os seus frutos, mesmo que por vezes fique só no deserto, saboreando os mesmos.

Façamos tchim tchim, à nossa saúde!

Podem acompanhar com figos secos, estes estão fora de validade!
Espero que a ASAE não passe por aqui.

Para a festa tenho dois amigos especiais, o Fufi, meu grande amigo e companheiro!

E a irmã, que por ser gatafreira vive enclausurada, sabe quando faz sol, mas não sabe quando chove, e como mandam as regras, não tem acesso ao Facebook e está alheia a todos os temas que tenham a ver com sexualidade.
TENHAM UMA BOA SEMANA, SEJA ELA DE FÉRIAS, OU TRABALHO.

domingo, 2 de fevereiro de 2014

O MAR ESTENDEU-SE NA PRAIA E PASSEOU NA MARGINAL...

Marginal em Buarcos interdita a viaturas

O mar estendeu-se na praia, não deixando lugar aos banhistas



As pessoas observam a fúria do mar

Nas praias da Cova-Gala, o mar com a ajuda do seu amigo vento, deixaram a escola de Surf neste estado

O espaço da praia é agora do mar


Ondulação que mesmo os mais aventureiros devem respeitar.