NATAL ILUMINADO DE ALEGRIA PARA TODOS!

NATAL ILUMINADO DE ALEGRIA PARA TODOS!

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

ANIVERSÁRIO DO "FIGUEIRA MINHA"...

Foi em fevereiro de 2010, que começou a dar os primeiros frutos, uns mais doces, outros nem por isso, espero que os amigos e amigas, que a visitaram, tenham gostado, é com todo o prazer que diariamente meto estes saborosos frutos à vossa disposição com a esperança que a crise não a faça secar, conto convosco para a irmos regando com os vossos doces comentários, OBRIGADO pela vossa companhia!

Os Pingo-mel, são do melhor

Um fado e uma bebida é ouro sobre azul, um brinde à MINHA FIGUEIRA!

A FELICIDADE ESTÁ NAS COISAS SIMPLES E PRONTO...




Quando tinha 14 anos, esperava ter uma namorada algum dia.
Quando tinha 16 anos tive uma namorada, mas não tinha paixão. Então percebi que precisava de uma mulher apaixonada, com vontade de viver.
Na faculdade saí com uma mulher apaixonada, mas era emocional demais.
Tudo era terrível, era a rainha dos problemas, chorava o tempo todo e ameaçava suicidar-se. Então percebi que precisava de uma mulher estável.
Quando tinha 25 encontrei uma mulher bem estável, mas chata. Era totalmente previsível e nada a excitava.
A vida tornou-se tão monótona, que decidi que precisava de uma mulher excitante.
Aos 28 encontrei uma mulher excitante, mas não consegui acompanhá-la.
Ia de um lado para o outro sem se deter em lugar nenhum. Fazia coisas impetuosas, que me fez sentir tão miserável como feliz.
No começo foi divertido e electrizante, mas sem futuro. Então decidi buscar uma mulher com alguma ambição.
Quando cheguei nos 31, encontrei uma mulher inteligente, ambiciosa e com os pés no chão. Decidi casar-me com ela.
Era tão ambiciosa que pediu o divórcio e ficou com tudo o que eu tinha.
Hoje, com 40 anos, gosto de mulheres com mamas grandes. E pronto!


domingo, 24 de fevereiro de 2013

COISAS DE AMIGOS...

Porque também eu gosto de ouvir o Prof. Marcelo Rebelo de Sousa, aos domingos na TVI, com Judite de Sousa, achei este texto curioso e interessante, ora vejam...


NOTA: Trata-se de um texto curioso mas cuja autora não se identifica!

Uma admiradora do Prof. Marcelo escreve-lhe esta carta aberta


Marcelo,

Eu sempre te admirei.

Eu sou aquela que quando te vê na Livraria Galileu fica embevecida, orgulhosa de ser cascalense, que te admira a forma como cumprimentas os transeuntes e folheias os livros usados com o mesmo cuidado que fazes com os novinhos em folha.

Sou aquela que sintoniza a TVI todos os domingos só para te ouvir. Que leva com a Judite de Sousa sem pestanejar só para te poder ouvir. Que pede silêncio se a sala de estar estiver cheia de gente para não perder pitada do que dizes.

Sou aquela que, na quarta-feira passada, ao avistar-te na FIARTIL, te defendeu com unhas e dentes junto a uma amiga que não te aprecia o estilo.

Sou isso tudo, Marcelo.

E hoje tu atreves-te a defender o Relvas no teu comentário semanal?
Assim, com a maior cara de pau? À cara podre?

Dizes tu: que o Relvas é diferente do Sócrates. Que o Relvas tirou direitinho 4 cadeiras enquanto que ninguém sabe em que circunstâncias é que o Sócrates concluiu as suas cadeiras. Que há imensas personalidades que não têm licenciatura e que depois, até a título de honoris causa, lhes são atribuídos títulos académicos.

Mas, Marcelo, TU ESTÁS BOM DA CABEÇA, HOMEM?

Deixa-me explicar-te como se eu fosse o Professor e tu a grávida desmemoriada:

O Lula da Silva foi Presidente da República do Brasil. Não tem curso nem nunca se apresentou como Dr. Não tem nenhum diploma pendurado no gabinete nem nunca fez ninguém acreditar na sua competência académica. As pessoas não lhe deixam de reconhecer mérito, especialmente, porque o Lula nunca quis ser o que não era e sempre assumiu quem era, o que era e o que poderia fazer com os recursos que tinha ao seu dispor. Que não os académicos.

O Comendador Nabais não tem licenciatura e é um dos mais brilhantes gestores do país. Nunca ninguém se dirige a ele através do título "Dr. Nabais". O próprio Champalimaud- o velho- não tinha nenhuma licenciatura e conta-se que, certo dia, um dos funcionários responsáveis por mandar fazer os seus cartões de visita lhe perguntou o que ele queria que colocasse por debaixo do seu nome. Champalimaud respondeu, sem hesitar: "Dono". Não colocou Dr. ou Licenciado pela Universidade da  Vida.


Nenhum destes senhores quis ser quem não era. Nenhum aspirou a um título académico e o conseguiu de forma menos transparente.

A grande questão, Marcelo, é que ao Relvas saiu-lhe uma licenciatura na farinha Amparo. E, estou crente, que, a partir de agora, a Universidade Lusófona é capaz de receber dezenas de pedidos de equivalências a licenciatura por mérito curricular. Até eu estou a pensar pedir avaliação do meu currículo profissional e sacar uma licenciatura em Gestão de Recursos Humanos, uma vez que a minha experiência nesta área é muito mais vasta que a do Relvas em qualquer área.

O Relvas, Marcelo, foi da JSD e isso não é profissão. É saber engraxar os grandes do partido, colar selos em cartas para se enviar para os militantes, segurar bandeirinhas nos comícios e ir buscar militantes não letrados aos bairros sociais limítrofes e pedir-lhe que, nos dias e eleições do partido, metam a cruz nas suas listas. E é bater palmas e fazer barulho quando o PSD ganha qualquer coisa. E não negues porque I've been there. E isso não faz de mim uma iluminada com potencial para sacar uma licenciatura em Anatomia Patológica Citológica e Tanatológica por equivalência.

Se avançarmos no percurso profissional do Ministro pós experiência na JSD o que vemos é um conjunto de tachos, cuja legitimidade dos processos de recrutamento e selecção fariam rir qualquer auditor da norma ISO 9001: 2008 e, mais ainda, na NP 4427:2004. Mas claro, cargos políticos estão dispensados de normas de qualidade, já me esquecia.

O Relvas até podia não ter licenciatura que, quanto a mim tanto me fazia. O que o Relvas não podia era armar-se em chico esperto e decidir ser Dr. (ou, se se lembrar da equivalência com o Pós-Bolonha, já pode ser mestre, às páginas tantas) sem ir à Universidade.

Da mesma forma que eu nunca pude ser ninguém na secção do PSD, da qual fui militante, sem lamber as botas aos grandes, sem ir bater palmas em todas as reuniões de freguesia, sem ir dobrar circulares a pedir votos numa determinada lista e enviar centenas de cartas dentro de envelopes, sem servir de motorista e apanhar residentes analfabetos em bairros sociais instruindo-lhes onde meter a cruz nas concelhias, sem prometer aos novos militantes, angariados a todo o custo, bilhetes para os filhos irem ao Optimus Alive em troca de mais votos, e afins. No fundo, cada um é para o que nasce.

Eu assumo que nunca conseguiria ter carreira como política. Ele que assuma que não é, legitimamente, licenciado.

E tu, Marcelo, não me lixes!

Que enervar uma prenha é coisa para te dar uma diarreia. Ou, se pedires
equivalência, uma catedrática gastroenterite. Coisa mais fina, enfim. Mais lusófona.





sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

ANEDOTA...


ANEDOTA DE HUMOR NEGRO

Estava uma senhora a conversar com uma criança magra e esfarrapada que brincava à beira da estrada. - Pobre criança. Que faz o teu pai? - O meu pai? Bebe! - Bem me parecia. E a tua mãe? - Também bebe! - Lamentável! Tens irmãos? - Só um... Os outros morreram todos quando eram pequeninos... - Pois, não me admira! E o que faz esse teu irmão? - O meu irmão está na faculdade de medicina. - Na Faculdade de medicina!?!? Mas isso é formidável! O que é que ele lá faz? - Está num frasco de álcool.

BOM FIM DE SEMANA...


Desejo a todos os meus amigos, um ótimo fim de semana, se possível sem coelho, sem trovoada, sem chuva e bem quentinhos!


ALERTA LARANJA, CUIDADO!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

D. XIMENES BELO, ONTEM NA FIGUEIRA DA FOZ...

D. Ximenes Belo
Carlos Filipe Ximenes Belo
Carlos Filipe Ximenes Belo é um bispo católico timorense que, em conjunto com José Ramos-Horta, foi agraciado com o Nobel da Paz de 1996, pelo seu trabalho "em prol de uma solução justa e pacífica para o conflito em Timor-Leste". 


Ontem na Figueira da Foz.


quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

SE TENS UM SONHO NÃO DESISTAS...



Se és jovem, vai à luta, junta ao teu sonho a vontade de vencer e segue em frente! Se caíres ali, tenta levantar-te logo de seguida, no final da tua caminhada perguntarás a ti próprio: Se não tivesse tentado, não teria saído vencedor, não teria sido feliz, conselho de um reformado, (Ex.Empresário), especialmente para os jovens do meu país em dificuldades.

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

SOMOS MESMO CORDEIRINHOS BEM COMPORTADOS...


A SOFISTICAÇÃO DE ROUBOS...




Trabalhadores de “boa fé” afinal roubavam carris no ramal da Figueira

03 Ferro Carrisroubo de metais, sobretudo cobre e ferro, faz há muito títulos gordos nos jornais. O que parece estar a mudar é o grau de sofisticação no planeamento e prática do crime. Isso mesmo indicam os contornos da operação desencadeada, ontem, pelo Destacamento Territorial de Cantanhede da GNR, que acabou por apreender perto de 58 toneladas de ferro de carris – num valor aproximado de 40 mil euros – de uma linha ferroviária desativada do Ramal da Figueira da Foz-Pampilhosa, num processo a envolver trabalhadores temporários de uma suposta empresa espanhola, na posse de um contrato que a REFER nega ter celebrado.
De acordo com uma nota do Destacamento Territorial de Cantanhede, tudo aconteceu, ontem, por volta das 10H00, quando uma patrulha do Posto de Cantanhede e elementos do Núcleo de Investigação Criminal de Cantanhede da GNR decidiram averiguar a presença de seis homens, todos com idades compreendidas entre os 39 e os 53 anos, em operações de remoção de carris de ferro no ramal da Figueira da Foz, entre as localidades de Enxofães e Carvalho – linha que se encontra desativada há alguns anos –, auxiliados por máquinas, material de corte e veículos pesados.

sábado, 16 de fevereiro de 2013

GNR NO MONDEGO...

DR

GNR retira 32 redes de captura de meixão do Mondego

Destacamento de Controlo Costeiro da Figueira da Foz desenvolveu durante dois dias, uma operação em toda a zona de ação, de combate apesca ilegal de meixão, espécie considerada em perigo e sobre a qual incidem várias medidas de proteção.
No decorrer das operações, e de acordo com um comunicado ontem divulgado, foram removidas e retiradas do rio Mondego na zona da bombagem de Alqueidão, um total de “32 redes mosquiteiras com medidas compreendidas entre os 35 e os 40 metros cada uma” – cada uma com um saco para recolha de meixão -, tendo sido capturados e de devolvidos ao rio “10 quilogramas de meixão”, o que equivale a cerca de 40 mil exemplares”, assim como vários quilogramas de outras espécies.

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

FALTA DE PÃO PARA OS MAIS FRACOS...

50 anos depois a luta recomeça e será sempre mais difícil para os mais frágeis, para que o pão seja repartido equitativamente, vou dispensar até 2015 a minha guarda-costas pessoal, para fiscalizar todos os decreto-leis, a favor dos políticos, antes de serem aprovados!

Espero que resulte e que em finais de 2013, Portugal comece a sair da recessão e a economia a crescer!
DESEJO UM BOM FIM DE SEMANA A TODOS/AS.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

PASSADOS 10 ANOS...

De momento pensei: Será que estou no mesmo país?
Passo a explicar a minha dúvida! Em 2003 foi feito o último contrato de arrendamento do meu espaço comercial, foi preciso levar comigo ao gabinete Notarial, o arrendatário, a minha mulher e eu próprio, exibir caderneta predial actualizada e o alvará de licença de utilização, pagar ao Notário o seu grande esforço de nos ler o conteúdo, que deu para arrepiar a carteira! Passados 10 anos, ou seja hoje, levei o contrato em triplicado à tesouraria das Finanças, paguei o devido imposto de selo, (a mesma percentagem de 2003), o funcionário carimbou e em dois minutos estava feito, portanto meus amigos a verdade seja dita, as burocracias de há dez anos atrás, não são as mesmas, pelo menos hoje encontrei o caminho facilitado, irá demorar 20 anos, mas aos poucos vamos lá.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

DESFILE DE CARNAVAL NA FIGUEIRA DA FOZ...

Rosa Amélia, a peixeira mais conhecida no nosso país e o sorriso para a minha câmara!
Hoje o São Pedro foi amigo do Carnaval e houve sol, música, samba e alegria na minha Figueira!






Ai, ai, que me estão a apertar!




Cliquem nas fotos para ler!


Reparem que belos "saltos"!



O Rei DAVID CARREIRA E A RAINHA ANA OLIVEIRA
ATÉ AO ANO COM A MESMA ALEGRIA!

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

NA FIGUEIRA TVI EM DIRETO...

O S. Pedro estragou o desfile de Carnaval na Figueira da Foz, mas numa cobertura preparada para resguardar a chuva esteve a TVI em direto, com os apresentadores IRÓ e FÁTIMA LOPES, na "TVI 20 anos", (Somos Portugal), atuaram vários e bons artistas, alguns deles figueirenses

Estive lá, mas o vento era frio demais para a minha idade

Tirei algumas fotos para recordar

E vim ver o resto do espetáculo no meu sofá, espero na próxima terça feira vos poder mostrar algumas fotos do desfile, "se o S. Pedro deixar"! ATÉ LÁ.

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

FIGUEIRA ESCURA PELO NATAL, COLORIDA PELO CARNAVAL...

São opções dos autarcas locais! Tradições populares diferentes, mas faz parte da nossa cultura com valores semelhantes, pelos vistos a crise não é sempre, mas sim quando o homem quer!

De facto, o que me dá pena são estes patos que tranquilamente se vão banhando nas águas do lago Oásis, junto ao percurso do desfile carnavalesco, que irão ser perturbados do seu sossego habitual,

Mas já António Aleixo dizia:
"Há tantos burros mandando em homens de inteligência, que às vezes fico pensando, se a burrice não será uma ciência"!

Sei um saco de cantigas
E mais uma taleigada;
Mas se hoje as canto todas,
Amanhã não canto nada...

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

CARNAVAL 2013 NA FIGUEIRA DA FOZ TEM TOLERÂNCIA DE PONTO...


CARNAVAL 2013 NA FIGUEIRA DA FOZ TEM TOLERÂNCIA DE PONTO...


Câmara da Figueira da Foz concede tolerância de ponto na tarde de terça-feira

Por Agência Lusa, publicado em 18 Jan 2013 - 11:28 | Actualizado há 2 semanas 4 dias

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

GENTE DO MAR...


Ontem falei do marinheiro
Hoje falo do pescador
Gente do mar belo e traiçoeiro
Ganhando a vida com suor

Rede que volta vazia
Traz tristeza ao pescador
Que apesar da arrelia
Leva em frente o seu labor!








domingo, 3 de fevereiro de 2013

O MARINHEIRO...

Os meus filhos da escola, da incorporação de Setembro de 1962, assim como o amigo Moisés, lembraram-se de me enviar uns poemas dedicados ao Marinheiro que espelha na perfeição um ciclo de vida da nossa juventude que nos marcou para a vida inteira, embora de autor desconhecido, aqui ficam registados com o devido valor!



               O MARINHEIRO

                                                       Noutros tempos, quando havia
                                         Navios no "Quadro", amarrados
                                         Por todo o lado se via
                                         Os Marinheiros fardados.

                                         E à noite, pelas vielas
                                         Na cidade, em todo o lado
                                         O Marinheiro ia às tabernas
                                         Ouvir cantar o Fado.

                                          Intendente, Benformoso,
                                          Martim Moniz, "Campainhas"
                                          O Fado, mulheres e copos
                                          E os rapazes da Marinha.

                                          O Marinheiro percorria
                                          Toda essa velha Lisboa
                                          Bairro Alto, Mouraria
                                          Alfama e Madragoa.

                                         Noite alta, regressa ao Lar
                                         Já cansado e sem dinheiro
                                         Rumo à Rua do Arsenal
                                         À "Casa do Marinheiro".

                                         Lenços brancos a acenar
                                         No cais e à despedida
                                         Lá vai para o Além-Mar
                                         É militar, é a sua vida.

                                         Esses briosos rapazes
                                         Na Farda faziam gala
                                         A Manta de Seda, o Alcache
                                         Já ninguém vê, ninguém fala.



                                                                                                  
 Autor: Desconhecido